29 de ago de 2012

"E o tempo se rói com inveja de mim"


Oi pessoal!Tudo bom?
Seguindo a linha do poust de semana passada hoje eu vou falar de:

Hilda Furacão(1998)

“Ninguém foge do seu destino”

O cenário é a Belo Horizonte dos anos 60,onde a Garota do Maiô Dourado brilha nas piscinas do mais tradicional clube,Hilda(Ana Paula Arósio) está de casamento marcado,mas por curiosidade vai a uma cartomante que lhe conta seu trágico destino.Revela que a moça não irá se casar e que antes de ser feliz haverá de sofrer muito,e que ela saberá que o homem de seu destino chegou quando ela perder seu sapato preferido.Hilda não leva as revelações a sério e no dia do seu casamento,já vestida de noiva,com todos a esperando na igreja,ela desiste.Foge da família e noivo,indo parar na zona boêmia da cidade e se hospedando no Maravilhoso Hotel,um prostíbulo bastante frequentado.
Em meio a triste história de Hilda,acompanhamos também a do jovem frei Malthus(Rodrigo Santoro) que dizem ser santo,mas nunca fez nenhum milagre.
Hilda se torna a sensação do Maravilhoso Hotel,fazendo o quarto 304 ser o desejo de milhares de homens.Tendo em vista isso,a Igreja faz um forte manifesto,com frei Mauthus a frente,para limpar os pecados da zona boêmia.
E lá o frei e a prostituta se encontram pela primeira vez,sob uma forte chuva os dois tem uma terrível briga,um raio cai e um incêndio se inicia,o lugar está uma confusão e,no momento de sua fuga,Hilda perde seu sapato preferido.


Gente,essa minissérie é lin-da!Minha mãe tinha um grande preconceito pela personagem principal ser uma prostituta,sempre achou de mau gosto,reclamou muito quando eu comprei o Box da série.Um dia eu chego em casa e ela está assistindo aos prantos dizendo que o amor de Hilda e Mauthus era coisa de almas-gémeas!


Na verdade “Hilda Furacão” é um livro(que eu já li) de Roberto Drummond que mescla ficção e realidade,diz meu avô que o caso da Hilda foi real.O autor romantizou boa parte do enredo e coube à Glória Perez adaptar o livro para televisão.O livro é totalmente escrito pela visão de Roberto(Danton Mello) que foi o repórter responsável por divulgar o “caso Hilda”,era amigo de infância do frei Mauthus também.Já a minissérie,por mais que tenha a narração do repórter,temos a visão geral dos acontecimentos,não deixando subentendido como no livro.

Além de Roberto,temos outros personagens reais,como o travesti Cintura Fina(Matheus Nachtergaele)e muitos outros,já que o autor colocou muitas personalidades políticas da época.Esqueci de comentar isso antes,em paralelo os acontecimentos de Hilda,começam os movimentos dos jovens a favor da revolução comunista no Brasil,o que deu gerou ao famoso Golpe de 64,o início da Ditadura Militar.

Tenho que deixar registrado que esse foi o personagem do Rodrigo Santoro que eu mais gostei,até hoje.Quando eu assisti Hilda,ele já era um ator consagrado,mas mesmo com tantos papeis até no exterior,a inocência e doçura do frei Mauthus criaram em mim uma simpatia muito grande pelo ator.



Uma minissérie romântica e sensível,para quebrar todos os nossos preconceitos,mostrando que o para o amor não existem fronteiras.

                                                                  “O que Deus risca,ninguém rabisca”



Nenhum comentário:

29 de ago de 2012

"E o tempo se rói com inveja de mim"


Oi pessoal!Tudo bom?
Seguindo a linha do poust de semana passada hoje eu vou falar de:

Hilda Furacão(1998)

“Ninguém foge do seu destino”

O cenário é a Belo Horizonte dos anos 60,onde a Garota do Maiô Dourado brilha nas piscinas do mais tradicional clube,Hilda(Ana Paula Arósio) está de casamento marcado,mas por curiosidade vai a uma cartomante que lhe conta seu trágico destino.Revela que a moça não irá se casar e que antes de ser feliz haverá de sofrer muito,e que ela saberá que o homem de seu destino chegou quando ela perder seu sapato preferido.Hilda não leva as revelações a sério e no dia do seu casamento,já vestida de noiva,com todos a esperando na igreja,ela desiste.Foge da família e noivo,indo parar na zona boêmia da cidade e se hospedando no Maravilhoso Hotel,um prostíbulo bastante frequentado.
Em meio a triste história de Hilda,acompanhamos também a do jovem frei Malthus(Rodrigo Santoro) que dizem ser santo,mas nunca fez nenhum milagre.
Hilda se torna a sensação do Maravilhoso Hotel,fazendo o quarto 304 ser o desejo de milhares de homens.Tendo em vista isso,a Igreja faz um forte manifesto,com frei Mauthus a frente,para limpar os pecados da zona boêmia.
E lá o frei e a prostituta se encontram pela primeira vez,sob uma forte chuva os dois tem uma terrível briga,um raio cai e um incêndio se inicia,o lugar está uma confusão e,no momento de sua fuga,Hilda perde seu sapato preferido.


Gente,essa minissérie é lin-da!Minha mãe tinha um grande preconceito pela personagem principal ser uma prostituta,sempre achou de mau gosto,reclamou muito quando eu comprei o Box da série.Um dia eu chego em casa e ela está assistindo aos prantos dizendo que o amor de Hilda e Mauthus era coisa de almas-gémeas!


Na verdade “Hilda Furacão” é um livro(que eu já li) de Roberto Drummond que mescla ficção e realidade,diz meu avô que o caso da Hilda foi real.O autor romantizou boa parte do enredo e coube à Glória Perez adaptar o livro para televisão.O livro é totalmente escrito pela visão de Roberto(Danton Mello) que foi o repórter responsável por divulgar o “caso Hilda”,era amigo de infância do frei Mauthus também.Já a minissérie,por mais que tenha a narração do repórter,temos a visão geral dos acontecimentos,não deixando subentendido como no livro.

Além de Roberto,temos outros personagens reais,como o travesti Cintura Fina(Matheus Nachtergaele)e muitos outros,já que o autor colocou muitas personalidades políticas da época.Esqueci de comentar isso antes,em paralelo os acontecimentos de Hilda,começam os movimentos dos jovens a favor da revolução comunista no Brasil,o que deu gerou ao famoso Golpe de 64,o início da Ditadura Militar.

Tenho que deixar registrado que esse foi o personagem do Rodrigo Santoro que eu mais gostei,até hoje.Quando eu assisti Hilda,ele já era um ator consagrado,mas mesmo com tantos papeis até no exterior,a inocência e doçura do frei Mauthus criaram em mim uma simpatia muito grande pelo ator.



Uma minissérie romântica e sensível,para quebrar todos os nossos preconceitos,mostrando que o para o amor não existem fronteiras.

                                                                  “O que Deus risca,ninguém rabisca”



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
© Copyright 2035 A Vida Mais Cor de Rosa
Theme by Yusuf Fikri